Connect with us

EXTRA NBA

NBA Power Rankings após a agência livre mais selvagem da história da Liga!

Que loucura de agência livre!

A NBA nunca viu uma agência livre como esta última, onde tanto jogadores de elite mudaram de equipa e reviraram completamente o equilibrio de poder em redor da Liga. Embora a poeira ainda não tenha estabilizado, (Chris Paul, por exemplo), vamos ver como está o ranking para a próxima temporada. O critério básico de classificação aqui é “hipótese em ganhar um título da NBA”, o que significa que algumas equipas no topo de Conferência Este estão à frente de algumas das equipas do Oeste – isto porque a probabilidade de chegaram às Finais da NBA é mais elevado.

Vamos ver:

 1. Los Angeles- Clippers (temporada passada 48-34). Nenhuma outra equipa teve um verão melhor que a de Steve Ballmer. Eles andavam atrás de Kawhi Leonard por mais de um ano, e não só o conseguiram adquirir, como também, Paul George. Os Clippers devem ser a equipa mais defensiva da Liga (Patrick Beverley terá mais tempo para jogar a base), têm um ataque versátil, e ainda têm a sair do banco Lou Williams e Montrezl Harrell. São a equipa a vencer na próxima temporada no Oeste.

 

2. Milwaukee Bucks (60-22). Eles reassinaram Khris Middleton e Brook Lopez, as suas duas prioridades na pós-temporada, porém, não conseguiram manter Malcolm Brogdon, e ainda dói essa. Wesley Matthews terá muito que provar para preencher essa vaga. Mas mais importante, eles ainda têm Giannis Antetokounmpo em progresso de forma.

 

3. Philadelphia 76ers (51-31). Eles perderam Jimmy Butler, o homem que era o organizador de jogo nos Playoffs, mas acrescentaram Josh Richardson e Al Horford que atenuaram a perda. Certamente serão uma defesa de elite que irá estar em foco na Conferência Este, no entanto, há uma questão: Será que Ben Simmons será o jogador para assumir nos momentos chave?

 

4. Utah Jazz (50-32). Os Jazz tiveram uma boa agência livre como a maior parte das outras equipas (excepto os Clippers). Eles melhoraram o seu plantel com Mike Conley, que é mais um criador de lançamento ao lado de Donovan Mitchell. E não se ficaram por aqui, pois acrescentaram Bogdan Bogdanovic (Indiana), o que dá mais eficiencia da zona de 3’s. Esta é uma das melhores defesa da NBA que foi construiída ao redor de Rudy Gobert – mas que agora tem muito jogo ofensivo.

 

5. Los Angeles Lakers (37-45). Entra Anthony Davis, no seu auge aos 26 anos de idade – LeBron James tem ao seu lado o melhor jogador que alguma vez teve ao longo da sua carreira, um jogador que encaixa que nem uma luva no seu jogo. Numa Liga que está repleta de duplas, os Lakers têm a melhor. A questão é: o resto da equipa é suficiente para vencer o título? Os Lakers têm talento, mas jogadores como Danny Green, DeMarcus Cousins, Rajon Rondo, Avery Bradley, Kyle Kuzma e os restantes têm que dar muito mais do que apresentaram na temporada passada. Os Lakers podem não ser grande equipa durante a temporada regular (4º/5º lugar), mas atenção nos Playoffs.

 

6. Houston Rockets (53-29). Seja o que se pense do ataque dos Rockets, Russell Westbrook é um upgrade a Chris Paul neste momento das suas carreiras. James Harden ainda está lá (média de 36.1 pontos com 7.5 assistências por jogo na temporada passada), assim como Clint Capela, PJ Tucker e Eric Gordon (apesar dos rumores comerciais). É a segunda melhor equipa ao longo das últimas três temporadas no Oeste, e se conseguirem encaixar Westbrook com Harden (saber dividir a bola), podem ser uma ameaça real a vencer o troféu Larry O’Brien.

 

7. Denver Nuggets (54-28). Denver mexeu pouco nesta agência livre, no entanto, conseguiram fazer regressar Paul Millsap. Os Nuggets eram uma das equipas mais jovens na temporada passada na NBA e está a contar com as suas melhorias internas, nomeadamente Jamal Murray e Nikola Jokic. Adicionaram Michael Porter Jr. à rotatividade. Denver continua a ser uma equipa de destaque e um osso duro de roer, no entanto, veremos se após a época passada eles conseguiram ir mais longe nesta próxima.

 

8. Golden State Warriors (57-24). Eles não são a mesma equipa dos últimos 3 anos. Kevin Durant mudou-se para Brooklyn e Klay Thompson está a recupera de uma grave lesão e não deve regressar antes da pausa do All-Star Game. No entanto, eles ainda têm Stephen Curry e Draymond Green, tendo adquirido D’Angelo Russell ao plantel. Os Warriors certamente vão abrandar um pouco nas vitórias (menos de 50), no entanto nos Playoffs será um caso diferente, atenção com eles.

 

9. Portland Trail Blazers (53-29). Nada de grandes entradas e saídas (podem ainda fazer uma investida por Kevin Love, mas é por um preço muito elevado), porém entrou Hassan Whiteside, que é muito possível que jogue na posição de Jusuf Nurkic (até regressar de lesão eventualmente), e assinaram Kent Bazemore. Portland ficou ligeiramente melhor neste verão, mas veremos se é suficiente para ultrapassar o marco da temporada passada.

 

10. Boston Celtics (49-33). Kyrie Irving mudou-se para Brooklyn, no entanto, os Celtics acrescentaram ao seu plantel Kemba Walker, o que quer dizer que não perdem muito em campo, mas ganham muito mais na liderança. Espera-se que Jayson Tatum e Jaylen Brown deem um passo grande em frente nesta próxima temporada. Perderam Al Horford vai ser mais notório, pois não arranjaram um substituto à altura. Vão ser uma equipa interessante de ver, marcando muitos pontos, no entanto, há muitas equipas ao qual não vão ter argumentos para fazer frente.

 

11. Indiana Pacers (48-34). Indiana fez grande aquisição ao retirar Malcolm Brogdon de Milwaukee, o que lhes permite agora ter um criador de jogo (e tiro) ao lado de Victor Oladipo. Os Pacers fizeram boas aquisições com Jeremy Lamb e T.J. Warren, porém, a falta de Bogdanovic vai ser notória. Os Pacers precisam de manter a cabeça fora da água até que regresse Oladipo (Natal, ou talvez antes).

 

12. Toronto Raptors (58-24). Fizeram tudo bem, mas não conseguiram segurar Kawhi Leonard. Ainda existe talento na equipa, com Kyle Lowry, Pascal Siakam, Marc Gasol, Serge Ibaka, Fred VanVleet, OG Anunoby, entre outros. As probabilidades de repetir o feito da temporada passada é agora muito mais difícil.

 

13. Brooklyn Nets (42-40). Brooklyn foi um dos grandes vencedores desta agência livre, ao assinarem com Kyrie Irving e Kevin Durant. Não esquecendo, que Durant não deve jogar toda a próxima temporada, e assim sendo, os Nets ainda não são uma ameaça real no Este. Irving, no entanto, é um upgrade a D’Angelo Russell (partiu para os Warriors) em campo. Resta saber é se Kyrie consegue ser um colega de equipa melhor que em Boston, onde esteve os últimos 2 anos, tendo grandes dificuldades em liderar os seus colegas de equipa.

 

14. San Antonio Spurs (48-34). Nada de grandes mudanças este ano. Destaque apenas para DeMarre Carroll. Talvez a sua melhor “aquisição” será Dejounte Murray de regresso á equipa (um base de nível All-Defense ) e juntamente com Derrick White é uma boa dupla defensiva. Não esquecer que ainda têm DeMar DeRozan e LaMarcus Aldridge no plantel. Os Spurs, como sempre, serão uma equipa muito difícil de vencer todas as noites e seguramente vão aos Playoffs.

 

15. Dallas Mavericks (33-49). Agora temos a hipótese de ver o que conseguem Luka Doncic e Kristaps Porzingis juntos – Pode esta dupla ser uma das melhores no Oeste? Dallas aposta nisso, mas nós precisamos de ver isso em campo todas as noites. Pessoalmente gosto da aquisição de Seth Curry e Delon Wright – assinar Boban Marjanovic é sempre engraçado e pode dar jeito – reassinar Maxi Kleber foi inteligente por parte dos Mavs. Esta equipa vai estar na luta pelos Playoffs, no entanto, a margem de erro é curta.

 

16. Minnesota Timberwolves (36-46). Não foram capazes de aliciar nenhuma estrela para emparelhar Karl-Anthony Towns. Ter Robert Covington de regresso é bom defensivamente, mas é necessário que Andrew Wiggins dê muito mais para que esta equipa consiga dar luta se quer ir aos Playoffs.

 

17. Sacramento Kings (39-43). Uma das equipas mais entusiasmantes da temporada passada (se não “A”). Têm um técnico novo (Luke Walton) e fizeram uma boa aquisição, Cory Joseph. Porém, para os Kings, trata-se de uma melhoria interna na esperança de acabar com a seca de não ir aos Playoffs, que já vão em 13 temporadas.

 

18. New Orleans Pelicans (33-49). Esta equipa está cotada demasiado abaixo perante a quantidade de potencial que tem. Os Pelicans serão certamente uma das equipas a acompanhar na próxima temporada. Brandon Ingram, Lonzo Ball, Zion Williamson, Jrue Holiday, Jaxson Hayes, Josh Hard, Derrick Favors e ainda JJ Redick que é um dos melhores lançadores de 3’s da Liga. Potencial nesta equipa não falta que vai dar luta pelos Playoffs.

 

19. Miami Heat (39-43). Chegou Jimmy Butler, num impressionante acordo de compra e troca. No entanto, ele está rodeado de jogadores que “cumprem” o papel – Justise Winslow, Kelly Olynyk, Bam Adebayo, Goran Dragic. Ele (Butler) tem de assumir em grande se os Heat querem fazer os Playoffs na próxima temporada.

 

20. Orlando Magic (42-40). Pode ser uma posição muito baixa neste ranking, no entanto é difícil ficar entusiasmado com esta equipa. Eles reassinaram Nikola Vucevic, mas não conseguiram satisfazer a sua necessidade em adquirir um base. São uma equipa decente (meio da tabela no Este) mas insuficiente para lutar pelos Playoffs.

 

21. Detroit Pistons (41-41). É uma boa equipa liderada por Blake Griffin e Andre Drummond. Reggie Jackson é um bom base, e a aquisição de Derrick Rose foi bem jogada. Talvez Luke Kennard possa dar um passo em frente. É um equipa que a par da temporada passada, vai lutar pelos Playoffs, mas não mais que isso.

 

22. Chicago Bulls (22-60). Outra equipa interessante e jovem. Os Bulls estão repletos de jovens talentos – Zach LaVine, Otto Porter, Wendell Carter Jr, e Lauri Markkanen. Boa aquisição a de Thomas Satoransky. É uma boa equipa, mas falta liderança. Espera-se que faça um pouco melhor que na temporada passada.

 

23. Atlanta Hawks (29-53). Os Hawks estão a contruir uma equipa de raíz em redor a Trae Young e John Collins – veremos o que acrescentam De’Andre Hunter e Cam Reddish. Espera-se melhorias, e que Atlanta se mantenha como uma equipa entusiamente de ver com nos últimos meses da temporada passada (muito devido a Trae). Mas, vai ser necessário pelos menos 2/3 anos até que esta equipa tenha argumentos para competir pelo domínio do Este.

 

24. Phoenix Suns (19-63). O 5 inicial dos Suns não é mau – Ricky Rubio, Devin Booker, Kelly Oubre, Dario Saric e Deandre Ayton. Talvez com a aquisição de Rubio faça com que a equipa estabilize um pouco e seja mais madura – espera-se uma temporada melhor que a última, o que não é difícil.

 

25. Washington Wizards (32-50). Bem, próxima temporada será Bradley Beal contra o resto do mundo todas as noites. Veremos como se desenvolvem Rui Hachimura e Moritz Wagner. John Wall está de fora – difícilmente os Wizards vão aos Playoffs.

 

26. New York Knikcs (17-65). Esta agência livre foi um soco no estômago para os Knicks. A verdade, é que eles precisam de construir uma cultura na franquia de modo a regressar aos grandes palcos. R.J. Barrett teve dificuldades na Summer League (15.4 pontos por jogo, mas apenas 34% de acerto), e Kevin Knox, que vai entrar no seu segundo ano na NBA registou 16.8 pontos com uma taxa de acerto de 40% – é muito pouco.

 

27. Memphis Grizzlies (33-49). A reconstrução está em andamento e a combinação Ja Morant e Jaren Jackson Jr. é uma boa base. Brandon Clarke mostrou boas coisas na Summer League (14.6 ppg com uma taxa de acerto de 57%).

 

28. Oklahoma City Thunder (49-33). É difícil para os adeptos dos OKC neste momento, perderam Paul George e Russell Westbrook na mesma semana. Passaram de candidatos a nem sequer ir aos Playoffs na próxima temporada (o cenário mais provável). Sam Presti iniciou uma revolução em Oklahoma. Chris Paul será negociado e possivelmente Steve Adams.

 

29. Cleveland Cavaliers (19-63). Foi uma decepção não ver Darius Garland ou Kevin Porter Jr. na Summer League – no entanto, oportunidades durante a próxima temporada não vai faltar, visto que os Cavs estão em recontrução. Neste momento, apenas falta “despachar” Kevin Love, mas tendo em conta o elevado salário dele, será difícil uma troca. Pode ser que as coisas mudem ao entrar na próxima temporada.

 

30. Charlotte Hornets (39-43). Sem Walker, os Hornets oficializaram o processo de reconstrução, mas eles não podem aceitar contratos miseráveis. Está na altura de Charlotte começar a traçar um objetivo a médio/longo prazo e trabalhar para esse fim.

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

More in EXTRA NBA